Nonato minimiza tese de postulação própria do Cidadania à PMJP: “Não podemos simplesmente criar uma candidatura”

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Nonato Bandeira, ex-presidente do Cidadania, partido do governador João Azevêdo, declarou em entrevista ao programa Rádio Verdade, da Arapuan FM, na tarde desta terça-feira (14) que é totalmente contra qualquer partido “inventar” uma candidatura só para se fazer presente nas eleições municipais, sobretudo no que diz respeito à corrida visando a Prefeitura Municipal de João Pessoa.

Nonato destacou que a seu ver o candidato é que tem que criar as condições necessárias para receber apoio da sigla e em torno deste nome o partido e aliados devem realizar um debate.

Leia Também: Gadelha critica ‘política arcaica’ protagonizada por Cartaxo em JP e cutuca gestor<br>Bandeira ainda ressaltou o crescimento que o Cidadania passou após a entrada do governador João Azevêdo e disse que apesar de não ser mais o presidente da sigla, caso seja chamado a opinar, defenderá o debate interno e que o candidato tenha por si só as condições objetivas para pleitear a PMJP.

“Eu primeiramente defendo o debate interno, que começou a ser feito mas tivemos o problema da pandemia. Eu acho que você só deve lançar candidatura quando se tem condições objetivas para tanto, eu sou contra candidatura do bolso do colete quando você puxa um apadrinhando, um familiar um amigo para concorrer isso nunca dá certo. Sem esse pré-candidato conseguir por ele mesmo as condições objetivas para tanto. O candidato tem que criar as condições para receber o apoio. De repente pode ter um nome que se apresente e galvanize essas questões, eu sou apenas hoje um militante do partido mas se for chamado irei opinar que não se deve inventar candidatura de última hora” sentenciou

PB Agora<

Leia também

© 2020 Todos os Direitos Reservados | TV Interativa