Notícias

Luxa admite rebaixamento e pede desculpa ao torcedor do Vasco: “Me perdoe, me doei ao máximo”

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Vanderlei Luxemburgo orienta jogadores do Vasco — Foto: Marcos Ribolli

Há uma chance matemática, mas se apegar a ela seria mentir para o torcedor. Foi assim que Vanderlei Luxemburgo admitiu o quarto rebaixamento do Vasco para a Série B após o empate sem gols com o Corinthians, na tarde deste domingo, em São Paulo. Ao elencar problemas do passado, dificuldade técnica do elenco e erros da arbitragem como motivos para a iminente queda no Brasileirão, o treinador pediu desculpa à torcida e se colocou à disposição para ajudar no que definiu como “reconstrução de um gigante”.

Nenhum dirigente falou no pós-jogo vascaíno. Portanto, não se sabe qual será a decisão de gestão de Jorge Salgado quanto à manutenção ou não do treinador. Precisando tirar três pontos e um saldo adverso de 12 gols do Fortaleza, o Vasco encara o Goiás na quinta-feira em São Januário. E ainda tem esperança de que a derrota contra o Internacional seja anulada pela Justiça Desportiva.

– Eu não posso enganar o torcedor: se falar em ganhar do Goiás e fazer 12 gols, estou enganando. Mas há um jogo sub judice (derrota por 2 a 0 para o Internacional). Lá houve um erro gravíssimo. Tanto que o STJD deu um parecer para a CBF mostrar o vídeo e os áudios do VAR na partida. Esse jogo é importante para moralizar o campeonato. Ele manchou o Brasileirão. O juiz e o VAR cometeram erros gravíssimos, o pior foi a não consulta ao VAR – disse o técnico, para completar:

– Não tem como mentir. O Vasco tem que fazer 12 gols, o Brasil tomou de sete e foi um aborto. Não vamos jogar contra uma equipe de várzea. Temos que ser realistas e não passar mentira para o torcedor.

Luxa foi contratado como substituto de Ricardo Sá Pinto. Tinha 12 jogos para evitar a queda. Ao final da coletiva, na qual disse ter uma parcela de culpa pela situação, o treinador se dirigiu ao torcedor:

– Queria falar com o torcedor do Vasco da Gama, que tem muito respeito por mim. Lamento muito por não ter conseguindo junto com esse grupo manter o Vasco na Primeira Divisão. Peço ao torcedor que entenda que eu fiz o máximo, o maior respeito pela agremiação, pelo torcedor do Vasco da Gama… Não tenho nenhum problema, não vai mexer em nada na minha história profissional de eu aceitar de estar no Vasco neste ano participando dessa reconstrução. Estou disposto a isso porque o Vasco é muito grande, e o Vasco precisa se reencontrar com sua história, que é muito bonita. Essa história de hoje vinha passando perto há muito tempo, mas quero participar dessa reconstrução desse clube maravilhoso que é o Vasco da Gama. O Vasco tem que estar entre as cinco maiores equipes. Me desculpe, torcedor. Me doei ao máximo. Da minha parte, eu peço desculpa, mas foi o geral.

Luxa também disse que, se a direção concordar, ele continuará no clube. Quer ajudar a reconstruir o time e não teme eventual mancha por disputar a Série B

– Eu vim para o Vasco por 12 jogos. Falaram que colocaria a carreira em risco. Não tenho essa preocupação, a minha carreira está aí. Eu estou à disposição do Vasco para uma reconstrução, a reconstrução de um gigante. Se o Vasco entender que eu posso ajudar, estou pronto. Nos últimos três anos, o Vasco beira do rebaixamento. Uma hora… Não tenho nenhum problema de trabalhar na Série B. A minha proposta era deixar o Vasco não cair, não conseguimos. Caímos não hoje, mas em um processo crescente de muito tempo. Acabou que não teve como recuperar – afirmou.

Fonte Globoesporte