Notícias

CPI da Covid pode virar a CPI do fim do mundo de Bolsonaro

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Se não terminar em pizza, é claro

Em sessão nesta tarde, o Supremo deve avalizar a decisão de Barroso que tanto irritou Bolsonaro, deixando-o
em pânico. O principal objetivo da CPI é investigar erros cometidos pelo governo no combate à Covid.
Secundariamente, poderá investigar erros de governadores e prefeitos no uso de verbas federais.
Faltam vacinas no país. Faltam remédios para a intubação de vítimas da doença em estado grave. Na maioria
dos municípios, faltam UTIs, e os doentes são transferidos para municípios que as tenham. Acontece que
nesses lugares a rede de UTIs está perto do colapso. E o número de mortes só faz crescer.
Salvo os ideológicos, nenhum parlamentar, deputado ou senador pouco importa, se presta a defender o
governo de graça numa CPI, qualquer governo. Bolsonaro já é refém do Centrão, do qual depende para aprovar
projetos do governo no Congresso e barrar pedidos de impeachment que possam abreviar seu mandato.
Caberá ao MDB a relatoria da CPI da Covid. É o cargo mais importante. O senador Renan Calheiros (MDB-AL),
aliado de Lula e do PT, deve ser o relator. A oposição ao governo e os partidos que se dizem independentes
indicarão 7 dos 11 titulares da CPI. É um mau sinal para Bolsonaro. Certeza de encrenca feia.
O MDB tem um pé dentro do governo, mas quer pôr os dois. Se conseguir, não signica que apoiará a reeleição
de Bolsonaro no ano que vem, longe disso. A tendência do partido é apoiar um candidato do centro (não
confunda com Centrão), mas se ele não tiver chances de vencer, poderá se alinhar a Lula.
Nada pode haver de pior para um governo do que a abertura de uma CPI justamente no momento em que ele
está mais fraco, e por ora, sem perspectivas de se recuperar. Se a CPI decolar e investigar a fundo o que deve,
haverá chuvas e trovoadas em Brasília com um nal imprevisível. Certas coisas serão inevitáveis.
Por exemplo: convocar para depor o atual ministro da Saúde e os três que o antecederam – entre eles, o general
da ativa Eduardo Pazuello que saiu de lá insinuando que políticos do Centrão tentaram encher os bolsos nas vacina da Pzer oferecida ao governo em junho do ano passado e recusada até o nal de dezembro?
Se não terminar em pizza, a CPI da Covid tem tudo para no futuro tornar-se conhecida como a CPI do m do
mundo de Bolsonaro e de muita gente

Por Ricardo Noblat