Notícias

Policiais fazem buscas na casa de ex-sogra de Lázaro, em Águas Lindas

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Lázaro teria sido visto no Setor Itamaracá, a 20 km da base de onde os policiais saíram às pressas na madrugada desta segunda-feira (28/6)

A caçada ao assassino Lázaro Barbosa, 32 anos, se intensificou na madrugada desta segunda-feira (28/6). Policiais saíram às pressas da base onde está mobilizada a força-tarefa, em Girassol (GO), e foram para Águas Lindas de Goiás, no Entorno do Distrito Federal.

Lázaro teria sido visto no Setor Itamaracá, na área rural da cidade, a 20 km da base. Um morador da região disse que assim que avistou o suspeito ligou para a polícia. Ele estaria escondido na casa da ex-sogra nos últimos dias, segundo denúncias recebidas pelos policiais. Três helicópteros sobrevoam a região e policiais fazem incursões, também, dentro da mata. São 20 dias de buscas. Os bloqueios seguem na BR-070.

A polícia faz buscas dentro da casa da mulher, identificada até então apenas como Isabel. Ela permitiu a entrada dos agentes da força de segurança ao local e colabora com as investigações. A ex-mulher de Lázaro chegou ao local com a polícia e foi levada da casa de Isabel dentro da viatura.

A população está muito assustada com a intensa movimentação de policiais na região. “Eu estou com medo”, disse uma vizinha, que preferiu não se identificar.

Solto na madrugada do último sábado (26/6), o caseiro Alain Reis Santana, 33, também estaria colaborando espontaneamente com as forças policiais nas buscas a Lázaro Barbosa. Por meio de nota, os advogados do funcionário da chácara em que o maníaco estaria se escondendo informaram que Alain ofereceu apoio aos investigadores por conhecer bem a região e “o possível paradeiro de Lázaro”.

“Mesmo estando em liberdade, de forma livre e espontânea, Alain colabora com as buscas ao fugitivo Lázaro Barbosa, desde 26 de junho”, diz o texto. De acordo com os defensores, a atuação do caseiro “comprova a boa-fé, a boa índole e o interesse de Alain em colaborar com o trabalho das autoridades de segurança”.

Alain foi denunciado com o patrão, Elmi Caetano Evangelista, 74, por supostamente esconder, alimentar e ajudar o maníaco a fugir da Justiça. “Eu fazia tudo lá na casa do seu Elmi, cuidava dos peixes, cuidava das vacas. Desconfiei de que ele estava escondendo algo, vi o Lázaro três vezes, a última na quinta-feira. Na quarta-feira, ele falou que, se eu falasse pra alguém [o paradeiro do assassino], ele sabia onde eu morava, que ia pegar minha família”, contou o caseiro após ser solto. Alain ainda disse que não sabe qual a natureza da amizade de Lázaro com Elmi.

O caseiro foi liberado após audiência de custódia, que ocorreu na tarde da última sexta-feira (25/6). A juíza Luciana Oliveira de Almeida Maia da Silveira entendeu que, no caso de Alain, “os indícios de autoria até o momento colhidos revelam-se frágeis, principalmente porque a relação com o outro autuado é de patrão-empregado”.

“Não é possível extrair dos autos que ele tenha aderido à suposta conduta do proprietário da fazenda de ajudar Lázaro. Quanto à arma e às munições, a posse não pode ser-lhe estendida, porque foram encontradas no interior da Fazenda Caetano, que pertence ao outro autuado”, ressaltou a magistrada.

Lázaro é acusado de cometer crimes brutais, como latrocínio, estupros e homicídios. A suspeita é de que, na última semana, o assassino tenha se escondido e se alimentado na chácara de Elmi. Ao prender Alain, a polícia alegou que o chacareiro dava cobertura a Lázaro e que ele estaria com uma das armas roubadas pelo psicopata, com 50 munições, na região de Cocalzinho (GO), uma espingarda calibre .22.

As equipes apreenderam duas armas de ar comprimido, sendo que uma delas foi modificada mecanicamente para disparar munição de calibre .22. Segundo o caseiro, as armas eram do patrão, Elmi Caetano. A defesa do chacareiro disse ter pedido habeas corpus do homem. A intenção da defesa é conseguir soltura ou prisão domiciliar.

Chacina

Lázaro é acusado de matar Cláudio Vidal de Oliveira, 48, Gustavo Marques Vidal, 21, e Carlos Eduardo Marques Vidal, 15. Ele ainda sequestrou Cleonice Marques de Andrade, 43, esposa de Cláudio e mãe das outras vítimas. O crime ocorreu na madrugada de 9 de junho, no Incra 9, em Ceilândia.

O corpo de Cleonice foi encontrado dias depois, em um matagal. O cadáver estava sem roupa e com um corte nas nádegas, em uma zona de mata perto da BR-070.

Desde que matou a família Vidal, Lázaro vem invadindo outras propriedades, fazendo novas vítimas. Ainda no Incra 9, em Ceilândia, ele entrou em outros dois locais, baleando três pessoas em um deles, além de um policial. Em Goiás, o maníaco tem se escondido na região entre Girassol, Edilândia e Cocalzinho, Entorno do DF.