Notícias

Câmara rejeita moção de repúdio à atitude de Bolsonaro que tirou a máscara de criança no RN – VEJA VÍDEO

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Por 13 x 2 a Câmara Municipal de Mossoró rejeitou a proposta de moção de repúdio da vereadora Marleide Cunha (PT) contra o presidente Jair Bolsonaro por ele ter tirado a máscara de uma criança no último dia 24 de junho em Pau dos Ferros.
Apenas a autora da proposta e a vereadora Larissa Rosado (PSDB) foram favoráveis a proposta.

Marleide alegou que se tratou de uma atitude grave. “Estamos falando de uma atitude que promove a necropolítica que vem contra tudo aquilo que estamos defendendo e esta casa tinha que se posicionar sim”, argumentou.
A maioria dos vereadores alegou que seria ruim para a casa se posicionar contra o presidente e que isso poderia ajudar Mossoró a perder recursos. “Uma atitude como essa não contribui para que a gente resolva os graves problemas que a gente tem em Mossoró”, disse Pablo Aires (PSB) que reforçou que apesar do voto favorável ao impeachment de Bolsonaro.

O vereador Genilson Alves (PROS), líder do governo, disse que não cabia a casa votar esse tipo de proposta. Ele lembrou que a própria autora já foi alvo de um título de persona nom grata que ele também foi contrário. “Quem tem que julgar o presidente da república é o povo. Quem vai dizer se ele deve ser perdoado é Deus”, disse.

Outros argumentaram que o presidente estava trazendo recursos para o Estado e que o pai da criança permitiu que o presidente tirasse a máscara. “Cada pai tem seu filho e faz da maneira que quer… o repúdio é muito pesado”, frisou Raério Araújo (PSD).

Os argumentos foram rebatidos por Larissa Rosado: “a responsabilidade é dele (Bolsonaro). O pai e a mãe não tinham como agir. A gente está numa pandemia. Esse fato é sim, reprovável”.

Além dos citados na reportagem, votaram contra Marcruty da Maysa (SD), Edson Carlos (Cidadania), Costinha (MDB), Wiginis do Gás (PODE), Gideon Ismaias (Cidadania), Isaac da Casca (DC), Omar Nogueira (PATRI), Ricardo de Dodoca (PP), Naldo Feitosa (PSC) e Lamarque (PSC).

Vídeo: