Notícias

Polícia legislativa chega a conclusão que não houve quebra de segurança sobre caso de Joice Hasselmann

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

A Polícia Legislativa da Câmara dos Deputados concluiu, nesta terça-feira (27), que “não houve quebra de segurança” no apartamento da deputada Joice Hasselmann (PSL-SP), em Brasília. As informações são do jornal Correio Braziliense.
A deputada alega ter acordado em meio a uma poça de sangue no chão e seu closet no último dia 18 e não se lembrar do que aconteceu.
De acordo com a investigação sobre as agressões, até o momento não há imagens da entrada de alguma pessoa estranha no apartamento da deputada. Os investigadores chegaram a trabalhar com essa hipótese. Agora, a avaliação é de que o que quer que tenha acontecido ocorreu dentro do imóvel.
A deputada Joice Hasselmann acredita ter sido vítima de um atentado. Ela estava em seu apartamento, em Brasília, e disse ter acordado em meio a uma poça de sangue no chão de seu closet, com cinco fraturas no rosto e uma na costela.
Estava ainda com um dente quebrado e queixo cortado. As informações foram divulgadas pela colunista Bela Megale, no O Globo. Embora diga que não se lembra do que aconteceu, a deputada bolsonarista afirma acreditar que foi “vítima de um atentado”.

A Polícia Civil do DF também investiga o caso. Mas, até o momento, não se descarta que Joice tenha caído ou se acidentado sozinha.

Foram recolhidas imagens das câmeras do prédio onde ela mora, na 302 Norte, no domingo em que a deputada acordou machucada, nos dias que antecederam o ocorrido e depois. Nada foi encontrado.

Deputada Joice Hassemann aponta dois nomes
Em entrevista coletiva, nesta segunda-feira (26), Joice Hasselmann afirmou que suspeita de duas pessoas que possam tê-la agredido no fim de semana passado.
Joice revelou que indicou dois nomes à Polícia Legislativa. “Eu tenho uma suspeita e eu passei para a Depol o nome de uma pessoa, um grande desafeto político que tem acesso a esse bloco de maneira muito fácil. Eu passei dois nomes, na verdade”, revelou a deputada.
A parlamentar vive em um prédio funcional, onde moram outros deputados e senadores. Ela suspeita que os agressores tenham fácil acesso aos apartamentos.
“Eu sei que um deles tem um acesso muito fácil ao prédio. E o outro tem acesso muito fácil a onde quer que ele queira”, disse Joice, ao referir-se aos dois suspeitos que indicou aos policiais.
Acusações contra o marido
Na mesma entrevista, a deputada afirmou que vai processar pessoas que falaram sobre a agressão sofrida por ela no último fim de semana. “(Vou processar) homem, mulher, famoso, artista. Não vou permitir quem manchem a honra do meu marido e minha”, disse.
Daniel França contou que não levou a esposa imediatamente ao pronto socorro por ser médico, e supôs que ela teria caído acidentalmente em casa. “Tomei as atitudes, não saí de perto dela”.

A deputada federal rejeitou a hipótese de ter sido agredida pelo marido. As teorias começaram a surgir após a parlamentar revelar que sofreu diversas fraturas e não tem lembranças do ocorrido. Durante a entrevista, ela disse que acusações também vinham de “mulheres extremistas”.

Vídeo: