A sua fonte segura de informação!

Notícias

Polícia Federal deverá investigar morte de criança em hospital universitário de Cajazeiras

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Uma menina de dois anos morreu nesta sexta-feira (22) no Hospital Universitário Júlio Bandeira (HUJB), em Cajazeiras, no Sertão da Paraíba, após ter sido transferida do Hospital Municipal de São João do Rio do Peixe. A família alega que o hospital universitário demorou para autorizar a transferência de Ananda Vitória, denúncia que está sendo investigada. Outra investigação em curso é sobre uma lesão encontrada nas partes íntimas da menina, identificada pelos profissionais de saúde que realizaram o atendimento.


De acordo com o delegado Francisco Filho, na quinta-feira (21), a mãe da criança, residente na cidade de Triunfo, teria levado a menina para atendimento em uma unidade de saúde em Poço de José de Moura, tendo sido liberada no mesmo dia. O quadro clínico da criança piorou na manhã da sexta-feira (22), e ela foi levada ao Hospital Municipal de São João do Rio do Peixe com fortes dores abdominais. Ao perceberem o estado de saúde que a paciente se encontrava, foi solicitada transferência para o HUJB em Cajazeiras, que é especializado em atendimento infantil.


A família da menina alega que o hospital universitário demorou a autorizar a transferência por falta de leitos disponíveis. Ela foi transferida no final da manhã, em uma unidade do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e deu entrada no HUJB por volta das 12h30. Contudo, a paciente já estava em quadro clínico grave e morreu na tarde da sexta-feira (22). Ela faria três anos no sábado (23).


Antes da criança ser liberada para a realização do sepultamento, a equipe da unidade de saúde percebeu que ela estava com uma lesão considerável nas partes íntimas. Então, o corpo precisou ser encaminhado para o Instituto de Polícia Científica (IPC), onde passou por um exame cadavérico. O resultado ainda não foi concluído. O delegado do caso alegou que pelas fortes dores abdominais e lesão, a Polícia Civil vai investigar se a criança teria passado por algum tipo de agressão. As investigações, no entanto, ainda estão em fase inicial e dependem do resultado do exame.


Investigação de negligência
Sobre a denúncia de negligência por parte do hospital, o delegado Francisco Filho informou que nesta quarta-feira (27) deve encaminhar o caso para a Polícia Federal, uma vez que o Hospital Júlio Bandeira é vinculado à Universidade Federal de Campina Grande (UFCG) e administrado pela Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh). Em nota, publicada nas redes sociais, o HUJB relata que recebeu o contato para a transferência da menina às 10h55 da sexta-feira, mas naquele momento, todos os leitos com suporte para tratamento de urgências e emergências estavam ocupados. Após uma das crianças internadas ser transferida para Patos, a menina pode ser recebida na unidade e deu entrada por volta das 12h30.


O hospital alega também que cumpriu todos os protocolos clínicos disponíveis, mas a criança não resistiu pela gravidade do caso. A assessoria do Hospital Universitário Júlio Bandeira informa que os atendimentos acontecem mediante encaminhamento das Unidades Básicas de Saúde ou de outros hospitais da região.